Cátedra José Bonifácio

 

Sou filósofo, isto é, constante indagador da verdadeira e útil sabedoria. [...] e procuro somente conhecer os homens e as coisas pelo lado do seu uso prático para deles adquirir o conhecimento útil.

- José Bonifácio de Andrada e Silva

                                josébonifacio

 

Apresentação

A Cátedra José Bonifácio foi anunciada oficialmente em 18 de dezembro de 2012, em sessão do Conselho Universitário, e sua criação institucionalizada em 18 de março de 2013, através da Portaria GR-6098, do Reitor da Universidade de São Paulo.

De iniciativa do Centro Ibero-americano e gerenciada por esse núcleo de apoio à pesquisa, que se encontra vinculado à Pró-Reitoria de Pesquisa e ao Instituto de Relações Internacionais, a Cátedra José Bonifácio foi instituída com a finalidade de estimular, através da contribuição de convidados estrangeiros ilustres, a geração, assim como a disseminação de conhecimento sobre a Ibero-América, inclusive por meio do incremento do relacionamento da Universidade de São Paulo com a comunidade acadêmica ibero-americana.

A recém instituída cátedra, homenageia o Patriarca de Independência do Brasil, José Bonifácio de Andrada e Silva. Acadêmico de vocação e homem público notável, a personalidade de José Bonifácio é ilustrativa, na sua abrangência, da intenção de se integrar a experiência de lideranças sociais aos processos educacionais e de pesquisa próprio do ambiente universitário, com vistas à produção de subsídios que concorram para a constante melhoria das condições de vida dos povos da região. À guisa de prestar o reconhecimento condizente ao seu valor histórico, o CIBA tem a honra de conceder à sua primeira cátedra a denominação honorífica José Bonifácio.

 


Ciclo 2015

Nélida Piñon é a atual ocupante da Cátedra José Bonifácio. Membra da Academia Brasileira de Letras, foi eleita em 27 de julho de 1989, na sucessão de Aurélio Buarque de Holanda e recebida em 3 de maio de 1990 pelo Acadêmico Lêdo Ivo. Entre 1996-1997 tornou-se a primeira mulher, em 100 anos, a presidir a Academia Brasileira de Letras, no ano do seu I Centenário. Nélida Piñon nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 3 de maio de 1937. Filha de Olivia Carmen Cuiñas Piñon e Lino Piñon Muiños, de família originária de Cotobade, Galícia, radicada no Brasil desde a década de 1920. Formou-se em jornalismo pela Faculdade de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Em 1970, inaugurou a cadeira de Criação Literária na Faculdade de Letras da UFRJ. 

Tem ministrado cursos de curta duração e proferido conferências e palestras sobre temas ligados à cultura, à literatura e à criação literária, e também sobre sua obra romanesca, no Brasil e no exterior. Sua estreia na literatura foi com o romance Guia-mapa de Gabriel Arcanjo publicado em 1961. Sua obra de romancista, contista e ensaísta foi traduzida em vários países. Contos seus são publicados em centenas de revistas e fazem parte de antologias brasileiras e estrangeiras. 
Titular da Cátedra Henry King Stanford em Humanidades, da Universidade de Miami (ocupada anteriormente por Isaac Baschevis Singer, prêmio Nobel de Literatura de 1978) de 1990 a 2003. Em dezembro de 1996, desligou-se provisoriamente da cátedra, ao assumir a presidência da Academia Brasileira de Letras (1996-1997). 
Tornou-se a primeira mulher, em cem anos, a presidir a Instituição, no ano do seu I Centenário. Em 2004, esteve presente à 1.a Reunião Plenária da Comissão do Quarto Centenário da Publicação do Dom Quixote, promovida pelo Presidente Zapatearo na Biblioteca Nacional de Madri. Designada membro do Conselho de Honra do Don Quijote, assumiu em dezembro de 2004, em Madri. Em sua homenagem foi inaugurada a Biblioteca Nélida Piñon, no Morro Santa Marta, promoção da Editora Record e da Oldemburg.


Ciclo 2014

Enrique Valentin Garcia Iglesias conta com rica e diversificada trajetória como professor de desenvolvimento econômico, diretor do Instituto de Economia da Universidad de la República de Uruguay, Presidente do Banco Central do Uruguai, integrante do Conselho Latinoamericano de Integração (ALADI), e do Instituto Latinoamericano e do Caribe de Planificação Econômica e Social das Nações Unidas (ILPES), ministro de Relações Exteriores do Uruguay; Secretário Executivo da Comissão Econômica para América Latina e Caribe das Nações Unidas (CEPAL), Secretário Geral da Conferência das Nações Unidas sobre Fontes  Novas e Renováveis de Energia, Presidente da Reunião Ministerial que deu início à Rodada Uruguai do Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio (GATT), Secretário Geral Ibero-americano, após ter sido, durante quase duas décadas, Presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento. Ao longo deste rico percurso intelectual, Enrique Iglesias destacou-se por exercer uma governança moderna.

O projeto de investigação atinente à Cátedra José Bonifácio - Ciclo 2015 - teve como tema central A América Latina na Atual Conjuntura Internacional: os Potenciais Impactos Econômicos, Sociais e Políticos, culminando com a publicação da coletânea Os Desafios da América Latina no século XXI, publicada pela Edusp em março de 2015sob a coordenação de Enrique Iglesias e sob a organização de Gerson Damiani, Adolfo Garce e Fabíola Zibetti. O Grupo de Pesquisa foi composto por mais de 50 pós-graduandos de 19 diferentes programas diferentes de toda a USP. Veja aqui a apresentação de D. Enrique feita pelo ex-reitor da Universidade de São Paulo, Jacques Marcovitch.

 


Ciclo 2013

ricardo.lagos

O primeiro titular da Cátedra, responsável pela coordenação de suas atividades de pesquisa durante o ano de 2013, foi o ex-presidente do Chile Ricardo Lagos, cuja notória experiência emana de sua extraordinária trajetória, tanto acadêmica como no desempenho de suas funções como político, jurista e diplomata.
Em seu ciclo inaugural de atividades, D. Ricardo Lagos, auxiliado por duas pesquisadoras de pós-doutorado, a Dra. Fabiola Zibetti e a Dra. Mireya Davilla, desenvolveu a temática atinente ao Desenvolvimento Regional e à Governança Internacional na América Latina vis-à-vis o mundo globalizado.
 

O programa de pesquisa se desenvolveu através de uma série de palestras e conferências destinadas a um grupo com mais de 50 alunos de mestrado e doutorado provenientes de 20 programas diferentes de pós-graduação, e tratou dos mais diversos temas que possuem relevância e impacto no tema central supracitado.
Elemento essencial para registro e consolidação das atividades conduzidas no âmbito da Cátedra José Bonifácio, publicação anual reuniu, na forma de uma coletânea, as contribuições científicas resultantes da atividade de pesquisa desenvolvida no período respectivo. Correspondendo às atividades do ano de 2013, conduzidas sob a direção do ex-Presidente Ricardo Lagos, a primeira coletânea abarca reflexões e resultados de pesquisas atinentes aos temas do desenvolvimento e da governança internacional no plano da América Latina. Objetivou-se, assim, com a produção da coletânea coordenada pelo ex-Presidente Lagos, a edição do primeiro volume e o início da coleção “Cátedra José Bonifácio”.

Grupo de Pesquisa da Cátedra José Bonifácio 2013 no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, com Ricardo Lagos


 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais nesta categoria: Seminários CIBA »

Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 3º andar, sala 313
Cidade Universitária, São Paulo-SP, CEP 05508-050
Tel 55 (11) 3091-8353