user

user

Enrique Iglesias assume como titular da Cátedra José Bonifácio 2014

D. Ricardo Lagos, ex-presidente do Chile e primeiro titular da Cátedra José Bonifácio, proferirá palestra, no âmbito dos Seminários CIBA, sobre os Desafios da Governança na América Latina, com a moderação do Prof. Alberto do Amaral Jr.
 
Data: 19 de Março de 2014, Quarta-feira, às 19h30.
Local: Sala da Congregação, Faculdade de Direito da USP, localizada no Largo São Francisco, 95.

Para mais informações: (11) 3091-8353 ou O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

XXIII CÚPULA IBERO-AMERICANA  DE CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO Cidade do Panamá, 18 e 19 de outubro de 2013
Resolução sobre a Renovação da Conferência Ibero-Americana

As Chefes e os Chefes de Estado e de Governo, reunidos na XXIII Cúpula Ibero-Americana, na Cidade do Panamá, com o propósito, entre outros, de proceder à renovação da Conferência Ibero-Americana e à Reestruturação da Secretaria-Geral Ibero-Americana, agradecem à Comissão dirigida pelo ex Presidente do Chile, Ricardo Lagos, e também integrada pela ex Ministra dos Negócios Estrangeiros do México, Patricia Espinosa, e pelo Secretário-Geral Ibero-Americano, Enrique V. Iglesias, as propostas incluídas no Relatório Uma reflexão sobre o futuro das Cúpulas Ibero - americanas ;

Destacando que a Ibero-América é herdeira de um vasto acervo de princípios, valores e de cultura e raízes históricas comuns; 

Reconhecendo que o processo de construção histórica da Comunidade Ibero-Americana, mantém a sua abrangência e vigência, enriquecida na sua multiculturalidade e plurietnicidade.  

Considerando as transformações mundiais que tiveram lugar desde a criação da Conferência em 1991, e particularmente o surgimento de novos fóruns regionais na América Latina e nas Caraíbas; 

Reiterando uma vez mais que a identidade ibero-americana está fundamentada na cultura.  Tomam nota das Conclusões Gerais da Presidência da Reunião Extraordinária de Ministros dos Negócios Estrangeiros emitidas no Panamá no termo desse encontro, dia 2 de julho deste ano, que incluem os elementos que centraram os debates dos Ministros. 

Em conformidade, resolvem:

A. Identificação de novas prioridades e renovação da Cooperação Ibero-Americana.

1. Dar prioridade, no âmbito ibero-americano, ao tratamento dos temas da agenda política que sejam de interesse comum, promovendo aqueles nos quais a Conferência tem um acervo próprio e um valor acrescentado. 

2. Concentrar as atividades da Conferência Ibero-Americana em torno de grandes áreas de ação, tais como os Espaços Ibero-Americanos do Conhecimento, da Cultura, da Coesão social, da Economia e da Inovação e de outros espaços nos quais tem vantagens comparativas.

3. Aprovar as novas Diretrizes para a Cooperação Ibero-Americana adotadas pelos Responsáveis de Cooperação ibero-americanos e encomendar à SEGIB, em coordenação com os Responsáveis de Cooperação, o início do seu processo de implementação.  

B. Melhoramento da organização das Cúpulas

4. Estabelecer uma periodicidade bienal das Cúpulas de Chefes de Estado e de Governo a partir da XXIV Cúpula, que terá lugar no México, em 2014, de modo a que se estabeleça uma alternância entre as Cúpulas ibero-americanas e as Cúpulas CELAC- UE. 

5. Alargar o espaço dedicado ao diálogo privado entre as Chefes e os Chefes de Estado e de Governo num Fórum de Reflexão sobre o tema central da Cúpula e outros assuntos de particular interesse político. 

6. Adotar nas Cúpulas de Chefes de Estado e de Governo, a partir de 2014, um documento conciso e operacional que inclua medidas concretas e mensuráveis. As Chefes e os Chefes de Estado e de Governo poderão, além disso, aprovar uma comunicação
política sobre o conteúdo dos debates no Fórum de Reflexão, que poderá ser acompanhada por um relatório da presidência da Conferência, e poderão também adotar Comunicados Especiais.    

7. Nos anos em que se realizar a Cúpula de Chefes de Estado e de Governo, os Ministros dos Negócios Estrangeiros, os Coordenadores Nacionais e os Responsáveis de Cooperação reunir-se-ão, como até agora. As Reuniões Ministeriais Setoriais serão programadas de forma bienal a partir de 2015 e terão lugar de acordo com o calendário estabelecido. 

8. Nos anos em que não se realizar a Cúpula de Chefes de Estado e de Governo, reunir-se-ão os Ministros dos Negócios Estrangeiros, precedidos por reuniões de Coordenadores Nacionais e de Responsáveis de Cooperação, a fim de dar seguimento e acompanhar o estado da situação e da implementação das ações e mandatos dos Chefes de Estado e de Governo e avaliar a cooperação ibero-americana respectivamente. 

C. Renovação do funcionamento, organização e financiamento da SEGIB

9. Fortalecer a coordenação com os organismos ibero-americanos (OEI, OISS, OIJ e COMJIB), para realizar ações conjuntas que contribuíam para a optimização e racionalização dos recursos humanos e financeiros, tais como unificar os atuais Escritórios de Representação em Escritórios Ibero-Americanos. Dessa forma, estabelecer um Grupo de Trabalho de composição aberta, convocado pela Secretaria Pro Tempore e em consulta com os organismos ibero-americanos, elabore propostas que permitam avançar no processo de integração e de renovação institucional, as quais serão apresentadas na I Reunião Ordinária de Coordenadores Nacionais e Responsáveis de Cooperação, com vista à sua adoção na XXIV Cúpula Ibero- Americana. 

10. Instruir a SEGIB para que proponha à CELAC o estabelecimento de um contacto regular e de cooperação e que alargue a sua relação com a União Europeia, em particular no quadro da alternância das Cúpulas Ibero-Americana e CELAC-UE. 

11. Convocar antes do final do mês de Abril de 2014, uma Reunião Extraordinária de Coordenadores Nacionais e de Responsáveis de Cooperação, com vista a dar directrizes à SEGIB para elaborar a proposta de orçamento de 2015, que conterá, entre outras, as prioridades orçamentais e o montante total do orçamento, tendo em conta:

a. Um relatório de um grupo de trabalho de composição aberta, convocado pela Secretaria Pro Tempore , para realizar uma avaliação de maneira integral das oficinas regionais, com propostas relativas à continuidade ou não das mesmas e, se for o caso, o seu financiamento e estrutura.

b. Um relatório de um Grupo de Trabalho de composição aberta, convocado pela Secretaria Pro Tempore para propor a escala de quotas aplicáveis. c. A alteração da actual proporção das quotas que aportam os países da SEGIB, para passar gradualmente em três anos, da atual percentagem de distribuição de 70% para os países da Península Ibérica e 30% para a América Latina, a uma nova distribuição de 60%/40%. O critério de gradualidade não será aplicado à quota de Portugal.    


 

Documento Original:  http://segib.org/sites/default/files/RESOLU%C3%87AO%20RENOVA%C3%87AO%20DA%20CONFER%C3%8ANCIA-XXIII-P.pdf

Cúpula Ibero-Americana identifica novas prioridades em um mundo globalizado

17/10/2013 - 9h10

Da Agência Lusa

Cidade do Panamá – A identificação de novas prioridades, um novo modelo de organização e a renovação da cooperação serão temas em destaque na 23ª Cúpula Ibero-Americana, que ocorre amanhã (18) e sábado na Cidade do Panamá.

Os desafios emergentes na esfera política, econômica, social e cultural, a melhoria da organização das reuniões de cúpula, a renovação da cooperação ibero-americana e suas implicações no funcionamento, na organização e no financiamento da secretaria-geral vão ser debatidos no encontro, que tem como lema “O papel político, econômico, social e cultural da comunidade ibero-americana no novo contexto mundial”.

Está confirmada a presença da maioria dos líderes políticos de 19 países latino-americanos e de três países europeus (Espanha, Portugal e Andorra, que participa desde 2004), na reunião, realizada anualmente, em que o espanhol e o português são as línguas oficiais. A primeira ocorreu em 1991, em Guadalajara, no México.

Portugal estará representado pelo presidente da República, Cavaco Silva, e pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, que também têm prevista uma visita ao Canal do Panamá, uma ligação de cerca de 80 quilômetros entre os oceanos Atlântico e Pacífico, inaugurada há 100 anos e em fase de expansão.

Nos dois dias da conferência na capital panamenha - e apesar da reunião não ter como base um tratado internacional, e sim declarações de caráter político - vão ser ainda abordados os grandes desafios que enfrenta a América Latina em um mundo globalizado.

Uma comissão presidida pelo ex-presidente do Chile Ricardo Lagos destaca como prioridades o desenvolvimento de uma estratégia de comunicação destinada a fornecer maior visibilidade aos programas, iniciativas e projetos de cooperação.

No âmbito do diálogo político, devem ser abordados grandes temas de debate internacional, incluindo os da cúpula do G20 - o grupo das maiores economias mundiais -, como os problemas da segurança dos cidadãos, o crime organizado e um novo “marco conceitual e de cooperação” sobre os fluxos migratórios em nível global.

Nesse aspecto, destaca-se que a crise econômica no espaço europeu, em particular na Península Ibérica (Espanha e Portugal), tem causado o regresso de imigrantes instalados nos dois países e o aumento da emigração europeia para a América Latina.

A cooperação nas áreas econômica e social e uma proposta para alterar a frequência anual dos encontros de cúpula para períodos bianuais também vão constar da agenda. O objetivo é que seja destinado mais tempo a um “diálogo aberto e informal” entre os participantes.

As decisões adotadas formalmente devem passar a ser abordadas pelos chefes da diplomacia, com destaque para a importância das cúpulas entre a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) e a União Europeia (UE).

Em um mundo global e interdependente, a 23ª Cúpula propõe-se a concretizar os três espaços que podem proporcionar projeção política à comunidade ibero-americana: o do conhecimento, o da tecnologia e inovação e o da cultura.

O Centro Ibero-americano da Universidade de São Paulo (CIBA) tem a satisfação de promover a jornada de atividades e confraternização da Cátedra José Bonifácio (programa 2013), das 16 às 20 horas de quinta-feira, dia 28/11, na Faculdade de Economia e Administração (FEA/USP), localizada no campus da Cidade Universitária.

16 horas (Sala G1 - FEA/USP)
Palestra do Prof. Pedro Dallari, coordenador do CIBA, sobre as perspectivas de mudança nas cúpulas Ibero-americanas e na estrutura institucional da SEGIB e do espaço ibero-americano.


17 horas (Sala G1 - FEA/USP)
Reunião entre os pesquisadores e a organização da Cátedra,  dando sequência às atividades em 2013 e 2014 (formalização do grupo de pesquisa, lançamento de coletânea de artigos com a presença de Ricardo Lagos, oferecimento de disciplina de pós-graduação no Instituto de Relações Internacionais, etc.).


19 horas (Biblioteca da FEA/USP)
Coquetel de confraternização e lançamento da coletânea “Desafios da Globalidade - Impasses nos grandes Regimes Internacionais: Relações de Poder e Meio Ambiente”, que reproduz palestras realizadas em 2012 e 2013 no âmbito do programa Conferências USP.

Iglesias fala, em conferência na FEA-USP, sobre os desafios da Ibero-América

Domingo, 15 Setembro 2013 14:51

Vários povos, uma identidade

Em conferência na USP, o secretário geral ibero-americano, Enrique Iglesias, destaca a multiculturalidade como um dos maiores patrimônios das populações da América Latina, Portugal e Espanha

Terça, 10 Setembro 2013 15:47

Edital para Bolsas de Pós-Doutorado

Edital de chamada de candidatos à concessão de duas bolsas de Pós-Doutorado no âmbito da Cátedra José Bonifácio, com pesquisas relacionadas aos temas da interação econômica e da governança no espaço latino-americano.

Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 3º andar, sala 313
Cidade Universitária, São Paulo-SP, CEP 05508-050
Tel 55 (11) 3091-8353